Junta-te à
Transição Verde

compartilhe o projeto:

Guimarães recebeu consórcio europeu para a economia circular

O Laboratório da Paisagem de Guimarães acolheu os parceiros ibéricos do projeto europeu Circular Ecosystems, para debater desafios, estratégias e soluções comuns. Durante a reunião, que teve lugar no passado dia 21 de maio, os parceiros puderam partilhar o estado de desenvolvimento da primeira fase do projeto, as barreiras encontradas e estratégias para o desenvolvimento de soluções de economia circular para as diferentes regiões. O encontro contou com a presença de representantes da Fundação do Património Natural de Castela e Leão, da Câmara Municipal de Valladolid, do Conselho Provincial de Ávila, do Instituto de Desenvolvimento Económico de Ourense e dos municípios de Matosinhos e de Guimarães.

Financiado pelo programa Interreg POCTEP, o projeto Circular Ecosystems, que terá a duração de quatro anos, tem como objetivo desenvolver soluções sistémicas para a circularidade de forma a minimizar a poluição e acelerar a transição para cidades desperdício zero. Na primeira fase do projeto, todos os parceiros irão desenvolver planos de ação territorial para a economia circular, onde irão preconizar-se estratégias que respondam à realidade e necessidades locais, com identificação das cadeias de valor prioritários e dos agentes intervenientes. Paralelamente, estão também a desenvolver planos de compras públicas ecológicas. Estes planos darão asas, numa segunda fase, a projetos-piloto acionáveis voltados para as cadeias de valor prioritárias no território. Para alcançar estes objetivos, o consórcio usará a metodologia desenvolvida na “Iniciativa Cidades e Regiões Circulares” (CCRI).

Resíduos têxteis são uma das prioridades para Guimarães

No caso de Guimarães, a tradição e expressividade do setor têxtil no território fazem com que este seja a cadeia de valor prioritária no município. Consequentemente, os projetos-piloto serão voltados para o desenvolvimento de soluções sistémicas que têm como objetivo reduzir a produção de resíduos têxteis, ao reintegrá-los diretamente na cadeia de valor, e melhorar a gestão dos mesmos através de soluções que possibilitem a sua recolha seletiva. Estas iniciativas visam responder às exigências europeias e nacionais no que toca à correta gestão de resíduos, particularmente à recolha seletiva de resíduos domésticos até janeiro de 2025, conforme estabelecido pela Comissão Europeia.

Conteúdos relacionados

Vitrus recebe prémio nacional de Boas Práticas Ambientais

Regulamento do Arvoredo Urbano de Guimarães em consulta pública

Guimarães busca Certificação como Destino Turístico Sustentável

Bairro C vai ser 100 por cento verde